Entrevista com o atleta de Parapente Caio Buzzarello
03/11/2017



 
Quando você começou a praticar?
Caio: Minha história no voo livre começou muito cedo, tive o primeiro contato com o esporte aos 5 anos de idade, foi quando começou a paixão pelo esporte.

Como surgiu o interesse pelo esporte?

Caio: Meu interesse pelo voo livre veio por causa do meu Pai, que há mais de 24 anos pratica o voo livre. Foi ele o principal responsável por hoje estar onde estou no esporte.

Existe alguém/algo que lhe inspira?

Caio: Minha principal inspiração para continuar crescendo no esporte é o meu pai, pois se não fosse ele quem sabe não conheceria esse esporte.

Qual o seu melhor e pior momento no esporte?

Caio: O melhor momento para mim no esporte é estar junto com os pilotos e trocar experiências para continuar evoluindo no esporte. O pior é quando não consigo alcançar meu objetivo no voo aonde realizo.

O que você espera para o futuro do esporte?

Caio: Espero continuar nas competições evoluindo e aprendendo com os melhores pilotos da região.

Qual o seu maior sonho?

Caio: Meu maior sonho a ser realizado dentro do esporte é ser Campeão no Campeonato Mundial de Parapente, e Campeão Brasileiro.

Hoje, quais os maiores obstáculos no seu esporte e o que você faz para superá-los?

Caio: Os problemas dentro do esporte são muitos, mas uma das principais é ter uma evolução segura, já que sou menor de idade e toda responsabilidade vai para o meu pai.

Nos conte um caso interessante sobre sua vida no esporte.

Caio: Um caso interessante na minha história do esporte é a idade que comecei a me envolver nos treinos de voo, com apenas 7 anos comecei a fazer meus primeiros voos sozinho no barranquinho de 80 metros.

Você já passou por alguma situação inusitada?

Caio: O fato mais inusitado foi quando não me deixaram participar do Campeonato Brasileiro de parapente deste ano, onde só pude com uma autorização dos meus pais.

Deixe um recado para quem está começando no esporte.

Caio: Minha mensagem para quem está começando no esporte é nunca deixar de evoluir mas sempre visar a segurança que nunca pode ser deixada de lado.


Página do Atleta no Facebook: Caio Henrique